segunda-feira, 10 de julho de 2017

BIBLIOTECA MUNICIPAL EDUARDO LOURENÇO - GUARDA


BIBLIOTECA MUNICIPAL EDUARDO LOURENÇO
JULHO | AGOSTO | 2017

Alexandre O’Neill [1924-1986]
Alexandre Manuel Vahia de Castro O'Neill de Bulhões nasceu em Lisboa a 19 de dezembro de 1924. O seu pai, António Pereira de Eça O'Neill de Bulhões, era empregado bancário e sua mãe Maria da Glória Vahia de Castro O'Neill de Bulhões, doméstica.
Inicia os seus estudos em 1932. Em 1946 sai de casa dos pais devido a conflitos familiares e vai viver para casa do tio materno. Em 1948 surgem as primeiras manifestações públicas de interesse pelo fenómenopoético.
O'Neill, tal como a maioria dos artistas portugueses, não pôde viver da sua arte. Afirmava viver de versos e sobreviver da publicidade. Foi intérprete de uma generosa biografia do amor. Vasto foi o seu currículo, onde constam diversas colaborações para jornais, revistas, televisão, etc.
Faleceu a 21 de agosto de 1986, vítima de um acidente vascular cerebral, depois de ter passado vários anos doente.
2
1 | 15H30
Correspondências
de João Pedro Delgado
Lançamento de livro
Apresentado por César Viana
Correspondências constitui uma coleção de memórias poéticas desigualmente simuladas. Trata-se de um conjunto de textos que não pretendem mais do que relatar quotidianos possíveis.
João Pedro Delgado é músico, violetista e investigador na área da performance musical. Correspondências é o Caderno n.º 􀅜 do CalaFrio e vai ser apresentado por César Viana, compositor, flautista, director de orquestra e musicólogo.
1 | 16H00
Ciclo Contradizer 􀅚􀅘 – Para Vasco
Sessão especial de poesia, cinema e música dedicada a Vasco Queiroz, médico e ativista cultural, recentemente desaparecido.
3
Esta exposição permite conhecer de forma simples o percurso da vida e obra de Alexandre O’Neill: nascimento e estudos, a sua ligação ao movimento surrealista, a relação com a política, o seu trabalho na área da publicidade e, principalmente, a sua obra literária.
6 | julho a 31 | agosto
2ª e sáb. | 14H00 / 19H00 | 3ª a 6ª | 9H00 / 19H00 - julho
de 2ª a 6ª | 9H00 / 12H30 | 14H00 / 17H30 - agosto
Vida e obra de Alexandre O’Neill
Exposição
Apoio: Município de Constância | Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill
6 | julho a 31 | agosto
2ª e sáb. | 14H00 / 19H00 | 3ª a 6ª | 9H00 / 19H00 - julho
de 2ª a 6ª | 9H00 / 12H30 | 14H00 / 17H30 - agosto
Alexandre O’Neill
Mostra bibliográfica
4
Nado e criado na redação da revista Almanaque, este Divertimento com sinais ortográficos surge a partir da Caixinha de tesouros do designer Sebastião Rodrigues, quando Alexandre O’Neill abriu orelha sobre o silêncio embaraçado daqueles elementos tipográficos e lhes foi registando as vozes. O resultado viria a ser publicado em 1960, no livro Abandono vigiado, com esta dedicatória: A Sebastião Rodrigues, que se divertiu a apurar graficamente este Divertimento. Ao compositor e aos impressores que colaboraram neste livro.
6 | julho a 31 | agosto
2ª e sáb. | 14H00 / 19H00 | 3ª a 6ª | 9H00 / 19H00 - julho
de 2ª a 6ª | 9H00 / 12H30 | 14H00 / 17H30 - agosto
Divertimento com sinais ortográficos
de Alexandre O’Neill
Exposição
5
Dar às crianças a oportunidade de se envolverem num ambiente fantástico de natureza, livros, autores, contadores de histórias e assim criar uma apetência maior à leitura através de atividades lúdicas e literárias.
7 | 18H00
Acampar com histórias
por APEL
Espaços Verdes da BMEL
Destinatários: Crianças dos 6 aos 10 anos (Máx. 25 crianças) Inscrições: www.acamparcomhistórias.pt
Organização: Associação Portuguesa de Editores e Livreiros | Apoio: CMG/BMEL O menino que sonhava com uma casa de chocolate é uma história sobre a adoção onde o sentimento de partilha e pertença são a tónica principal. O livro aborda as relações interpessoais entre as crianças e os funcionários das instituições que muitas vezes são a única referência social na vida da criança. Por esta razão é através do sonho que se faz a materialização da vontade de ter uma família e se cria um local a que se possa chamar nosso. Esta história exalta os valores de partilha, compreensão e amor inerentes nas relações.
Susana Leonor Neves Campos nasceu em Coimbra. É mestre em Serviço Social e iniciou a sua caminhada na escrita com poesia, com os livros Lua Azul, Nos Teus Olhos e Só Contigo.
Em 2014 lançou o seu primeiro livro infantil O menino que tinha medo do escuro. Conta ainda com participações em antologias portuguesas e brasileiras.
8 | 18H00
O menino que sonhava com uma casa de chocolate
de Susana Campos
Apresentação de livro
por Tatiana Louro
Leitura por Glória Cabral
6
7
Este livro reúne os trabalhos poéticos criados no âmbito da Oficina de Escrita e Leitura em Voz Alta, dinamizada pela Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço no estabelecimento Prisional da Guarda, sob orientação de Américo Rodrigues.
12 | 18H00
Vá para fora cá dentro!
por Oficina de Escrita do Estabelecimento Prisional da Guarda
Apresentação de livro por Odete Ferreira
8
Existem várias formas de descobrir um escritor. A leitura da obra é aquela que parece ser a mais óbvia e imediata. Há, porém, outras aproximações: editar-lhe os escritos, contar a história da sua vida, divagar sobre o que escreveu. Cada uma delas — edição, biografia ou ensaio — é passível de nos conduzir aos estados de encantamento, identificação, desconcerto ou paixão, que são, na verdade, a própria sem-razão de ser da literatura.
Maria Antónia Oliveira nasceu em Viseu em 1964. Estudou em Coimbra, depois em Lisboa na Universidade Nova, graças à qual escreveu O Grande Hotel Universal: A Poesia de Mário de Sá-Carneiro (mestrado) e Os Biógrafos de Camilo (doutoramento). Foi professora do Ensino Superior entre 1994 e 2005. É editora da obra de Alexandre O’Neill para a Assírio & Alvim. Em abril de 2017, saiu o volume Poesias Completas & Dispersos, que editou e para o qual escreveu o posfácio.
14 | 18H00
A tristeza contentinha de Alexandre O’Neill
por Maria Antónia Oliveira
Conferência
9
O poemário Desencantos e (alguns) gritos - que podemos designar por sinfonia/composição poética em cinco andamentos - abriga-se à sombra da citação de Rosalía de Castro, poetisa galega do século XIX. O empenhamento desta pitonisa funciona, ab initio, como pedra de toque da poesia empenhada e matizada
que o leitor irá encontrar nos poemas ecléticos de Carlos d’Abreu.

Noberto Veiga

É este o primeiro poemário, publicado, de Carlos d’Abreu, raiano do Douro Transmontano (1961), circunstância que o levou ao iberismo (sem estado espanhol), com vivências em Angola (onde teria nascido não fora o início da luta armada anti-colonialista desviar-lhe a rota, mas ainda assim aí voltou e se criou), Brasil e Espanha. (...) a cidade da Guarda foi a eleita em 1995.
Libertário por timbre, Geógrafo (USAL), Arqueólogo (UP) e Historiador (UPT) por formação, investigador por vocação (onde os territórios e patrimónios da Ibéria, da Raia e do Durius sobressaem), associativista e cultivador por devoção, amante
da Poesia dita e escrita (...)
17 | 18H00
Desencantos e (alguns) gritos
de Carlos D’Abreu
Apresentação de Livro
por José Luís Lima Garcia
10
Bichezas e Estranhezas são bichos estranhos e estapafúrdios que nascem quando gravamos ideias insólitas num pacote de leite!
Partindo da técnica Cadáver Esquisito adotada por artistas surrealistas para provocar a livre associação de imagens, pretendemos criar um desenho coletivo, um bicho estranho! As crianças ajudadas por um adulto criarão uma parte de um bicho (cabeça, patas, corpo, cauda...) na técnica de gravura em pacote de leite usando apenas linhas de ligação entre elas. Ao passarmos à impressão conjunta verifica-se, com surpresa, a relação inesperada entre as partes desenhadas, e assim nasce uma Bicheza.
Sofia Morais nasceu em 1979, em Lisboa, onde vive e trabalha. Licenciada em Design de Comunicação, pelas Belas Artes de Lisboa, é designer gráfica e ilustradora freelancer.
22 | das 14H30 às 17H30 (3h)
Bichezas e estranhezas : gravura para crianças
por Sofia Morais
Oficina
Destnatários: Famílias (crianças dos 6 aos 10 anos acompanhadas de 1 adulto) Inscrições obrigatórias, limitadas a 6 famílias (6 adultos + 6 crianças) e sujeitas a confirmação, até ao dia 18 julho. Telefone: 271210760 ou por e-mail: animacao@bmel.pt
11
Está preparado para ser pai? Este é um relato cru e honesto sobre como é ser-se pai de duas crianças. Sem figuras de estilo para adornar a pílula, sem
maquilhagem para esconder as imperfeições e sem papas na língua. Até porque a papa raramente fica na língua. Geralmente fica espalhada por tudo quanto é lado. E o pai depois que limpe.
Luís Coelho nasceu em Coimbra em 1981, na altura tinha cabelo. Cresceu na Guarda e vive em Lisboa. É criativo, publicitário e humorista. Até hoje nunca conseguiu explicar bem o que é que faz da vida, pelo que continuam a dizer-lhe já ir sendo altura de arranjar um emprego a sério. É casado e tem, que ele
saiba, dois filhos. O seu primeiro livro – Faz-te Homem – provocou uma crise no seu casamento. Este promete acabar de vez com a sua família.
28 | 18H00
Psicopaita - Tudo o que as crianças fazem
que dá vontade de as esganar
de Luís Coelho
Apresentação de livro
Organização: Clube Escape Livre e Editora Objectiva
12
Um documentário de Fernando Lopes sobre Alexandre O’Neill, a sua poesia e as histórias da sua vida, dita e contadas, entre outros, por Antonio Tabucchi, Hellmut Wohl, Gérard Castello-Lopes, João Botelho e Afonso O’Neill.
Para Fernando Lopes, este filme trata-se, sobretudo, das vivências criativas, sentimentais e afetivas de um poeta, um dos maiores do nosso século XX, com quem teve o privilégio de conviver.
31 | 18H00
Tomai lá do O’Neill
por Fernando Lopes
Documentário 54’
13
Destinatários: Crianças dos 3 aos 10 anos, Com marcação prévia.
À semelhança dos anos anteriores, a Biblioteca Itinerante vai estar na Praia Fluvial de Valhelhas a proporcionar momentos de leitura para todos. Nos dias 24 e 26, à tarde, decorrerão oficinas de expressão plástica para as crianças.
6, 13, 20 e 27 | julho | 3, 10, 17, 24 e 30 | agosto | 10H30
A Quinta dos Contos
Contos
24 a 28 | 14H30 / 18H30
Leituras de Verão
Biblioteca Itinerante
Praia Fluvial de Valhelhas


Fora Uma biblioteca viva
julho:
3ª a 6ª | 9H00 / 19H00
2ª e sáb. | 14H00 / 19H00
agosto:
de 2ª a 6ª | 9H00 / 12H30 | 14H00 / 17H30
BMEL | Horário
Rua Soeiro Viegas, nº 10 | 6300 - 758 Guarda
tel. 271 210 760 | telem. 926 555 611
14

Sem comentários:

Enviar um comentário