sexta-feira, 25 de maio de 2018

Pavilhão do Conhecimento (Parque das Nações – LISBOA) recebe reunião Magna Transmontana



BARROSO da FONTE
Decorrerá durante o Fim-de-semana. Encerra no Domingo com a apresentação de 30 stands de produtos regionais, oriundos de vários municípios transmontanos.
Sobre esta reunião Magna diz-nos Barroso da Fonte, neste espaço: “ O que ficará para a história continuará a ver-se, a ler-se e a ouvir-se”.
Hoje, porém, após a recepção aos congressistas, o momento alto do dia é a apresentação pública da Antologia de autores, onde a representação feminina é significativa, com a participação de texto de abertura de sua Exª. o senhor Presidente da República. A ela se refere, o escritor do Barroso desta forma: “Uma louvável iniciativa teve a ver com uma antologia que, nas suas 928 páginas, congrega 145 co-autores, sendo 36 mulheres e pertencendo a 35 concelhos”.





quinta-feira, 24 de maio de 2018

Amanhã inicia a reunião Magna de Transmontanos, Durienses e Beirões Transmontanos


Amanhã vai ter inicio a reunião Magna dos Transmontanos, Durienses e Beirões Transmontanos. Neste IV Congresso, realizado 16 anos depois do terceiro, em terreno neutro, no Pavilhão do Conhecimento, no Parque das Nações (LISBOA), irão debater-se questões preocupantes para as populações de periferia.

BARROSO da FONTE
Um dos momentos altos do dia de amanhã será o lançamento a público de uma Antologia de autores, onde a representação feminina é significativa, com a participação de texto de abertura de sua Exª. o senhor Presidente da República. A ela se refere o escritor do Barroso desta maneira: “Uma louvável iniciativa teve a ver com uma antologia que, nas suas 928 páginas, congrega 145 co-autores, sendo 36 mulheres e pertencendo a 35 concelhos”. A imagem anexa é da última capa impressa do volume, a sair da maquinaria.                                           

Esclarecer e informar sobre o IV Congresso transmontano


Cara(o) Consócia(o),


Com o objectivo de esclarecer e informar de que forma poderá participar no IV Congresso de Trás-os-Montes e Alto Douro e da Semana de Trás-os-Montes e Alto Douro, durante este fim-de-semana, sexta-feira, sábado e domingo (25, 26 e 27 de Maio), conforme Programa já enviado, no Pavilhão do Conhecimento (Junto ao Oceanário), no Parque das Nações (Expo 98), em Lisboa, vimos por este meio esclarecer de que forma poderá participar e os preços praticados pela Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro:

PACK 1 = 60,00 € (Participação durante 3 dias no IV Congresso + Antologia (livro) + Jantar dia 25 + Almoço dia 26)

PACK 2 = 50,00 € (Participação durante 3 dias no IV Congresso + Antologia (livro) + Jantar dia 25)

PACK 3 = 30,00 € (Participação durante 3 dias no IV Congresso + Antologia (livro))

PACK 4 = 10,00 € (Participação durante 3 dias no IV Congresso)

PACK 5 = 25,00 € (Participação durante 3 dias no IV Congresso + Jantar de Sexta dia 25 de Maio)

PACK 6 = 20,00 € (Participação durante 3 dias no IV Congresso + Almoço de Sábado dia 26 de Maio)

Cada pessoa pode optar por qualquer um dos 6 PACK acima descritos! Basta escolherem qual o PACK em que pretendem participar neste IV Congresso).
Cada PACK além daquilo que está acima descrito tem direito a uma Agenda em Cortiça, 1 caneta, 1 Programa do IV Congresso, 1 Fita para colocar ao pescoço, 1 Cartão de Entrada no Pavilhão do Conhecimento e mais um Crachá do IV Congresso para os sócios com as quotas em dia!
Para além disso, todas as pessoas (sócios e não sócios) podem ainda optar, para além dos PACK acima descritos, por adquirir o seguinte:

Crachá do IV Congresso para Não Sócios = 5,00 €

1 Livro - Antologia de Autores Transmontanos, Durienses e da Beira Transmontana = 20,00 €

Jantar de Sexta-Feira = 15,00 €

Almoço de Sábado = 10,00 €

Ou seja, neste IV Congresso todos os sócios, não sócios, famílias e amigos podem sempre participar de diversas formas!
Basta optar por um dos 6 PACK que temos previstos e adoptar a melhor modalidade participação!


O Objectivo desta Organização é de não dar qualquer prejuízo à CTMAD, mas sim que as receitas cubram as despesas assumidas com a Organização deste Evento.
Por essa razão pedimos o vosso apoio! O vosso incentivo! A vossa participação!
Pedimos também a divulgação deste evento junto dos vossos amigos e das vossas famílias!
Vamos contribuir para uma Região de Trás-os-Montes e Alto Douro melhor!
Em anexo, segue a Ficha de Inscrição e os dados necessários para participarem no IV Congresso de TMAD!

Contamos com todos!
Saudações Transmontanas e Alto Durienses,
Hirondino Isaías,
**************************************************

Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro
Campo Pequeno, 50 - 3º Esq.
1000-081 Lisboa

tomo de Verão da série gótica da Revista Triplov


Queridos amigos -
Saiu o tomo de Verão da série gótica da Revista Triplov, em parceria com a revista Matérika, da Costa Rica. Um agradecimento ao seu diretor, o artista Alfonso Peña, pois a ele pertence a seleção de textos reunidos, de surrealistas passados e presentes e de várias partes do mundo.
Com as minhas saudações muito cordiais, deixo-vos com o índice de autores.
meg
.......................................................................
ÍNDICE

TRIPLOV.COM MATÉRIKA SURREALISTA:


Revista Triplov . série gótica . Verão de 2018

Amirah Gazel & Viviane de Santana | Chac

Mário Cesariny de Vasconcelos & Zuca Sardan | Máquina

Ludwig Zeller & Susana Wald | Abro mi cráneo en dos

Claudio Willer & Pinina Granirer | La verdadera historia del siglo XX

Rodrigo Verdugo & Carmen Santos | Domingo

Jhon Sosa & Denis Magerman | Mantras del aire

Rodia Ibaveda  &  Miguel Lohlé | Querubín mutilado

Fernando Cuartas  & John Welson | El secreto del tigre blanco

Armando Romero & Gaetano Andreoni | Trátase de lo siguiente

Carlos Barbarito & Jan Dočekal | Un camino para el sol

Beatriz Hausner & Lennín Vásquez  | Hemograma

Claudia Vila Molina & Richard Misiano-Genovese  | Ciudades prohibidas

Enrique de Santiago & Carlos M. Luis | Giro de la nube

Floriano Martins & Nicolau Saião | El diablo vive sólo

Fernando Fuão  & Francisco Valle | Eternamente ahora

Nelson de Paula & Emília Prieto | Piercing de luz

Rik Lina & Óscar Jairo Jonzález Hernández) | Tratado de la melancolía

Ricardo Echávarri  & César Moro | Ella

Artur do Cruzeiro Seixas & Manuel A. Sousa | A tua boca adormeceu

Alfonso Peña & Leila Ferraz | Al pie de la letra



PAULA WINKLER:

“Entre sueños, me perdería con gusto en el universo de René Magritte”




EDITORIAL

Maria Estela Guedes, Varik & Magdalena Benavente | «Eu nasci argila de sombra»


Feira Cultural de Coimbra


 A feira do Livro de Coimbra, este ano, realiza-se entre os dias 1 e 10 de junho. A Lema d'Origem, mais uma vez, estará presente com uma forte componente transfronteiriça: duas obras bilingues (Jardin[e]s excedidos e Vida Incompleta), uma tradução do Galego (O Beato) e dois lançamentos de obras de autores portugueses (Reflexos de Mim A leste nada de Novo – Memórias de um Vieirense na Guerra de Angola (1971-1973)).
Programa em anexo.
Apareçam e divulguem.
Atentamente,

2 de Junho, 15H00 - Jardin[e]s excedidos, María Ángeles Pérez López (Auditório do museu da água)
2 de Junho, 15H45 – Vida Incompleta, de Montserrat Villar González (Auditório do museu da água)

4 de Junho, 17H00 - A leste nada de Novo – Memórias de um Vieirense na Guerra de Angola (1971-1973), Antero Neto (Pavilhão CMC)
9 de Junho, 19H00  - Reflexos de Mim, de António Sá Gué (Auditório do museu da água)

10 de Junho18H00 - O Beato, de Alfredo Conde (Auditório do museu da água)

SIPE pressiona Ministério da Educação




O SIPE vai reunir com o Ministro da Educação dia 4 de junho às 11h30m

Esta reunião resulta da pressão que os Professores/Educadores têm vindo a fazer junto do Ministério da Educação para que seja reposta justiça.
Para este encontro com o ME muito contribuiu a Manifestação que reuniu aproximadamente 50 000 docentes e, embora não tenhamos tido a visibilidade na comunicação social que merecíamos,
o Ministério da Educação sabe que que estivemos lá e sabe que somos uma FORÇA!

Vê o discurso na Manifestação do dia 19 de maio:


.http://www.sipe.pt/noticias/manifestacao-19-maio-2018-intervencao-julia-azevedo-1

Foto galeria Manifestação 19 de maio de 2018

As mais lidas destes últimos quatro dias

Posts
Entry
Pageviews
May 20, 2018, 1 comment
832
May 21, 2018
716
May 23, 2018
537
May 17, 2018
176
May 15, 2018
161
Mar 22, 2018
106
May 22, 2018
91
May 14, 2018
72
May 9, 2018
60
May 23, 2018
60
Pages



quarta-feira, 23 de maio de 2018

Também assim acontece com os congressos: - quando menos se espera é quando tudo corre bem


Por BARROSO da FONTE
Poderia realizar-se em 2020 o congresso que vai decorrer de 25 a 27 de Maio, em curso. Assinalaria o I século desde que ocorreu o primeiro. Mas depois de recordada a história das três anteriores edições, quem soube das dúvidas que houve em 1941 em 2002, terá entendido que não é próprio dos Transmontanos «deixar para amanhã, aquilo que pode fazer-se hoje». Aqueles que em 1941 quiseram honrar, vinte anos depois, os pioneiros de 1920, tiveram tantas preocupações e receios de que pudesse falhar alguma coisa. Em 1920 ainda se arrumavam as trouchas da I Guerra Mundial. Mas a urgência era tanta que um Povo como o de Trás-os-Montes, pobre, despovoado e esquecido, tinha de agir para sobreviver. Em 1941 aqueles que tinham a experiência do que se fizera em 1920, quiseram melhorar a experiência. E, quando se viram em cima da hora, sem meios de toda a ordem, reconheceram que já era tarde demais e que, o melhor era adiar para 1941.
Foi em Vidago que Miguel Torga produziu aquele poema prosaico sobre o «Reino Maravilhoso». O terceiro ficara previsto para 1960. Mas a guerra, a emigração e a pobreza teimavam em embaraçar as vontades e os meios. Mais vinte anos em cima dos outros vinte que foram sendo adiados.
Só por essa altura, tivemos acesso às atas das duas primeiras edições. Nas diversas tribunas da imprensa, regional e diária, mais a feliz circunstância de termos os meios oficiais da Direção Geral da Comunicação, (re) pegámos naquelas atas e, estando por essa altura, em pleno funcionamento as Casas as diversas Casas Regionais (Lisboa, Porto, Guimarães, Braga, Coimbra, Tomar, Viana do Castelo e Algarve), usámos as redes comunicacionais, que insistentemente, fermentaram a Comunidade Transmontana e Duriense. Numa primeira fase chegou a eleger-se um grupo de Transmontanos que pretendiam avançar. Mas o poder autárquico, demarcou-se e, só na viragem do século e do milénio, foi possível cimentar vontades e garantir meios para – finalmente – autarcas e quadros do funcionalismo público, representando aquelas Casas regionais, darem passos seguros, para, em 2002, afinar a máquina que há 61 anos aguardava afinação.
 Foi, inegavelmente, a maior manifestação pública de Transmontanismo de que há memória. A cidade de Bragança foi o palco desse evento que nas conclusões que foram aprovadas, ficou o propósito de se repetir de cinco em cinco anos. Ficou claro que não mais seria possível repetir esse acontecimento com tamanha dimensão. E, sobretudo, tantas vontades e meios logísticos, para viabilizar semelhante proeza.
Só a iniciativa privada e o poder local, a puxar para o mesmo lado, podem fazer coisas bonitas, comunitárias e do agrado geral.
Ciente de que não podendo, somente a Casa de Lisboa, realizar a 4ª edição do congresso do nível daquele que decorreu, em         Bragança, em 2002, poderia imitar as edições de 1920 e de 1941, a direção chamou a si, sócios e não sócios para organizar o IV Congresso, em Lisboa, nos dias 25, 26 e 27 do mês em curso. Dadas as dificuldades financeiras que são comuns a todas as instituições do género, não poderemos exigir muito. Mesmo assim muita gente ligada a Trás-os-Montes e Alto Douro voltou as atenções para as origens telúricas. E os mais novos ficaram a saber que os Transmontanos, sempre primaram pelo diálogo franco e reconfortante        .
 O que ficará para a história continuará a ver-se, a ler-se e a ouvir-se.     
Autores transmontanosArmando Palavras, já em 2011, fizera uma primeira coletânea intitulada: «Trás-os-Montes e Alto Douro – Mosaico de ciência e cultura» Foi uma obra de 400 páginas, numa tiragem de 10 mil exemplares que mereceu nota prévia do Lagoaceiro António Neto que nesse ano fora o Presidente da Comissão de Festas de Nossa Senhora das Graças (LAGOAÇA). A essa comissão organizadora pertenceu Armando Palavras que mais uma vez coadjuvou Hirondino Isaías, presidente da Direção da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro, de Lisboa. Foi uma tarefa árdua e ingrata porque há sempre quem veja, ao seu nível, muitas e muitos que julgava inferiores, mas que ocupam mais e melhor espaço, página mais vistosa do que eles. O livro vai estar à venda durante o congresso, ao preço de 20 euros e decorrerá no Pavilhão do conhecimento – Centro Ciência Viva – No Parque das Nações, em Lisboa.
Inscrições pelo geral@ctmad.pt ou tel. 217 939 311.       Barroso da Fonte


As mais lidas destes últimos três dias


Posts
Entry
Pageviews
May 20, 2018, 1 comment
792
May 21, 2018
647
May 17, 2018
307
May 15, 2018
271
May 14, 2018
139
Mar 22, 2018
95
May 1, 2018, 5 comments
82
May 22, 2018
78
May 9, 2018
57
May 21, 2018, 1 comment
46
Pages